Terremoto no Japão – Não se deixe derrotar pelo Touhoku Jishin!

Uma Semana – Terremoto de Touhoku – Lost in Japan

Posted: 18 Mar 2011 01:38 AM PDT

MUITO OBRIGADO A TODOS OS AMIGOS QUE TEM ENVIADO MAILS, COMENTÁRIOS E RECADOS DIVERSOS DE APOIO E INCENTIVO. É DE GRANDE AJUDA, PARA NÓS TODOS, AQUI AGRADEÇO.
NÃO HÁ, ATÉ O PRESENTE MOMENTO, REGISTRO DE BRASILEIROS MORTOS OU GRAVEMENTE FERIDOS NO PAÍS.

************************************
14h46. Um minuto de silêncio em todo o país.
Há uma semana atrás o Japão entrava em seu pior momento neste século.
************************************
O amigo Antônio, jornalista e que há muito tempo faz um bonito trabalho social em Nagoya publicou alguns avisos importantes
em seu twitter, vou divulgar aqui:
PEDIDO: vamos retuitar notícias vindas de fonte segura. Não espalhemos boatos ou o que alguém comentou. Nessa hora a precisão é uma prece.
PEDIDO 2: Por favor, não deem dinheiro na mão de ninguém. Depositem em conta de banco de organizações confiáveis. Muito cuidado nessa hora.
PEDIDO3: A situação é difícil, mas não nos entreguemos ao desespero nem ao imediatismo. Busque informação e ajuda se precisar. Tamos juntos
*****************************

FAQ (Respondendo):

* Só sei o que devo fazer na minha vida:
Entendo tanto a posição de quem fica como a de quem quer ir/está indo embora.
É uma situação tensa, limite (quarto maior terremoto do mundo, G-Zuis, não é chuva de verão!).
Cada um faça o que julgar certo, de acordo com suas possibilidades e consciência.
Da minha vida sei eu, da vida do outro sabe ele e c’est fini.
* Radiação não é transmissível ou contagiosa!
O césio, plutônio – elementos químicos e não biológicos, não se reproduzem e não são passados por um espirro ou contato. (Desculpe escrever isto aqui, mas sim, me perguntaram isto algumas vezes – tenho testemunhas, inclusive).
Nem será preciso mandar os seus parentes recém-chegados ao Brasil para salas de descontaminação.
* Cada abrigo na região afetada faz suas regras de acordo com o que tem disponível e o número de pessoas.
Não sei de onde saem absurdos do tipo: homens comem dois bolinhos de arroz e mulheres apenas um.
A distribuição é igual, conforme relatos das reportagens locais, dos próprios abrigados.
Apenas velhinhos e crianças têm preferência caso haja excedente, ou então os que estão em trabalho voluntário considerado mais penoso.
Com licença, o período medieval no Japão já acabou faz um certo tempo.
* E ninguém tome iodo por conta, o iodo à venda nas farmácias japonesas é para gargarejo e não para ser ingerido.
Nem aumentem o consumo de sal, como
já acontece na China. Em vez de radiação, vão morrer de pressão alta!
* Japoneses e estrangeiros tem ajudado e muito!
Não tem "mais ou menos bonzinho" nesta hora, tem é gente que ajuda.
Todo mundo faz o que pode, da maneira que entende o que seja ajudar (no nosso caso, os brasileiros que aqui vivem e não entidades oficiais, que isso fique bem claro).
Gente é gente, ué. Tem coração, alma, generosidade, bondade.
Até crianças tem contribuído, de alguma forma (visitam velhinhos para acalmá-los, ajudam nos afazeres de cada abrigo, etc).
****************************

Por estas ruas….

A única coisa que notei aqui de diferente (região que praticamente não foi afetada pelo terremoto Touhoku) é ver algumas pessoas com a expressão muito triste ou até mesmo chorando pelas ruas.
Alguns cartazes com mensagens de incentivo no comércio… pontos de recolhimento de donativos que aumentaram muito. Onde moro não há racionamento de luz ou de qualquer coisa, mas voluntariamente as pessoas tem economizado energia elétrica.
Muitos pontos turísticos e o comércio estão com parte das luzes apagadas.
Na tv, informes são divulgados o tempo todo mas não mais em transmissão 24 horas (a não ser na rede estatal NHK e os canais de notícia). O canal educativo da NHK tem privilegiado a programação infantil.
No rádio (fonte importante de informação, já que facilmente são encontrados, funcionam com pilhas ou até manivela) muitas estações transmitem historinhas infantis para acalmar a criançada. E músicas tradicionais bem alegres e otimistas, em estilo enka,que trazem ânimo principalmente aos mais velhos.

Ken Hitosuji, na voz da cantora Misora Hibari.

Estilo de música que resgata o ânimo guerreiro nos mais idosos
(os mais propensos à depressão, tristeza e falta de esperança).

link do video
Vi que muitos rezam, segurando as notícias de jornais nas mãos, pelos templos da cidade.
Ora-se muito também pelos cidadãos que tentam apagar o incêndio na usina Fukushima Dai Ichi (conscientes dos graves riscos que correm, estão lá para proteger a vida de milhões).
Em uma pequena praça, perto da estação de trem, vi algumas pessoas de idade cantando gunka, as velhas canções do tempo da segunda guerra… pois vive-se uma nova guerra, o inimigo desta vez é o terremoto Touhoku.
Um novo cumprimento surgiu no Japão: além do bom dia, ouve-se muito "Touhoku Jishin ni Makenaide!" (Não se deixe derrotar pelo Touhoku Jishin!)
****************************

Links de hoje:

Um parecer sincero, muito interessante, sobre a questão da mídia e a mensagem de um brasileiro que vive em Sendai – no Pequenas Cousas, blog de José Comessu.
Um físico nuclear da Universidade de Londrina manifesta-se sobre o alarmismo excessivo em relação à Usina de Fukushima – aqui
Notícia ruim aumenta ibope, claro. – tvs

Muito obrigado por acompanhar o Lost in Japan – Portal Nippon

http://lostinjapan.portalnippon.com/2011/03/uma-semana-terremoto-de-touhoku-lost-in.html

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s