Carta aberta ao Senhor Jesus Cristo – Pastor Venefredo Barbosa Vilar

Carta aberta ao Senhor Jesus Cristo,

com cópias para os seus discípulos.

Senhor,

A Bíblia registra a declaração que fizeste, após a tua ressurreição, de que toda a autoridade te foi dada no céu e na terra. A mesma Bíblia registra que determinaste aos teus discípulos que fossem e fizessem discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as cousas que lhes tinhas ordenado. [Mateus, cap. 28].

Em 1953, com dezoito anos, fizeram-me teu discípulo e me ensinaram a guardar o que tinhas ordenado. Mas não me ensinaram nem a fazer, nem a venerar, nem a adorar imagens de escultura ou fundição. Todavia, como via muitos que se diziam teus discípulos fazendo, venerando e adorando imagens de escultura ou de fundição, busquei na leitura dos teus Testamentos (Velho e Novo) a tua ordem para fazer, venerar ou adorar tais imagens. E não encontrei.

Muito pelo contrário, meu Senhor.

Encontrei o teu servo Moisés entregando ao teu povo hebreu o segundo mandamento, escrito duas vezes pelo dedo de Deus, que determinava ao teu povo que não fizesse para si imagens de escultura, nem semelhança do que havia em cima nos céus, nem na terra, nem nas águas debaixo da terra; que não as adorasse, nem lhes desse culto. [Êxodo, cap. 20].

Encontrei no livro dos Salmos uma terrível maldição lançada sobre os que fazem ídolos e neles confiam, pois se tornariam semelhantes a eles: Têm boca, e não falam; têm olhos, e não vêem; têm ouvidos, e não ouvem; têm nariz e não cheiram. Suas mãos não apalpam; seus pés não andam; som nenhum lhes sai da garganta.Tornem-se semelhantes a eles os que os fazem, e quantos neles confiam. [Salmo 113 ou 115].

Encontrei, ainda, Senhor, no livro do teu profeta Isaías, a afirmação de que: Todos os artífices de imagens de escultura são nada, e suas cousas preferidas são de nenhum préstimo; eles mesmos são testemunhas de que nada vêem nem entendem, para que eles sejam confundidos, pois os mesmos artífices não passam de homens; espantem-se e sejam envergonhados.

O artífice em madeira estende o cordel e, com o lápis, esboça uma imagem; alisa-a com plaina, marca com o compasso, e faz à semelhança e beleza de um homem, que possa morar em uma casa.

Há os que gastam o ouro da bolsa, e pesam a prata nas balanças, assalariam o ourives para que faça um deus, e diante deste se prostram e se inclinam. Sobre os ombros o tomam, levam-no e o põem no seu lugar, e aí ele fica; do seu lugar não se move; recorrem a ele, mas nenhuma resposta ele dá, e a ninguém livra da sua tribulação. [Isaías, caps. 44 e 46].

Encontrei também o teu sofrido profeta Jeremias exortando o teu povo Israel:

Ouvi a palavra que o Senhor vos fala a vós outros, ó casa de Israel: Assim diz o Senhor: Não aprendais o caminho dos gentios, nem vos espanteis com os sinais dos céus, porque com eles os gentios se atemorizam. Porque os costumes dos povos são vaidades; pois cortam do bosque um madeiro, obra das mãos do artífice, com machado; com prata e ouro o enfeitam, com pregos e martelos o fixam, para que não oscile.

Os ídolos são como espantalho em pepinal, não podem falar; necessitam de quem os leve, porquanto não podem andar. Não tenhais receio deles, pois não podem fazer mal, e não está neles o fazer o bem. Mas eles todos se tornaram estúpidos e loucos; seu ensino é vão e morto como pau. Todo homem se tornou estúpido e não tem saber; todo ourives é envergonhado pela imagem que ele esculpiu; pois as suas imagens são mentiras, e nelas não há fôlego. Vaidade são, obra ridícula; no tempo do seu castigo virão a perecer. [Jeremias, caps. 10 e 51].

Encontrei também outro profeta, Habacuque, advertindo:

Que aproveita o ídolo, visto que o artífice o esculpiu? E a imagem de fundição, mestra de mentiras, para que o artífice confie na obra, fazendo ídolos mudos?

Ai daquele que diz ao pau: Acorda! E à pedra muda: Desperta! Pode o ídolo ensinar? Eis que está coberto de ouro e de prata, mas no seu interior não há fôlego nenhum. [Habacuque, cap. 2].

É bem verdade, Senhor Jesus, que alguns dos que se dizem teus discípulos ensinam que as imagens feitas e veneradas por eles são diferentes daquelas. Que as de hoje representam a ti e os teus discípulos chamados à glória: tua mãe Maria, teus apóstolos Pedro, Paulo e outros.

Mas Senhor, mesmo assim continuo questionando. Pois as de hoje se parecem muito com aquelas, visto que também são feitas por homens — artífices e fundidores — e não por ti! São feitas, como aquelas, de materiais variados: madeira, gesso, barro, pedra, metal etc. À semelhança daquelas, têm boca, e não falam; têm olhos, e não vêem; têm ouvidos, e não ouvem; têm nariz, e não cheiram. Suas mãos não apalpam; seus pés não andam; som nenhum lhes sai da garganta. Quando precisam mudá-las de lugar, levam-nas nos ombros, ou no carro dos bombeiros, pois não conseguem andar.

Em que, pois, elas são diferentes daqueles ídolos pagãos mencionados no teu livro, e que abominavas e mandavas o teu povo destruir, e lhe proibias fazê-los para si? [Números, cap. 33].

Será que os teus discípulos humildes e iletrados, saberão distinguir, nas filigranas teológicas, entre venerar, cultuar e adorar?

Já vi até pessoas letradas ajoelhadas diante da imagem de um cavalo, do seu cavaleiro e de um dragão! E assustei-me, pois, de acordo com o teu livro, o dragão é a antiga serpente, que se chama diabo e Satanás. E fiquei sem saber a qual dos três elas veneravam, cultuavam ou adoravam! [Apocalipse, cap. 12].

Dizem, Senhor, que as imagens te representam a ti, tua mãe e outros santos.

Quando, Senhor, te fizeste retratar, para que hoje pudessem fazer uma imagem à tua semelhança? Quando vejo exibida uma dessas imagens, não te vejo retratado nela. Pois, ora apareces de cabelos curtos, como era o costume dos judeus, teus contemporâneos; ora apareces de cabelos compridos, como um nazireu, o que sabidamente não eras! Ora, és um varão forte, belo; ora, esquálido, vencido!

As imagens que exibem de tua mãe, me deixam ainda mais perplexo, e me fazem pensar que se trata de uma brincadeira de mau gosto, uma irreverência, ou de um acinte à pessoa e memória dela. Ora é preta, sem ter características da raça negra. Ora é branca, com traços fisionômicos marcadamente europeus. As que vejo não guardam nenhuma semelhança com uma mulher de genuína origem judia, nascida na Palestina.

Com respeito às imagens dos santos, a par da dificuldade de representá-los fielmente, visto que não se tem o original para ser copiado, não encontrei no teu livro a ordem para que os teus discípulos que morressem fossem venerados pelos que ainda não tivessem sido chamados à tua glória.

Onde, Senhor, nas tuas ordenanças, e nos ensinos dos teus apóstolos, foi determinado que se fizessem imagens tua, de tua mãe, dos apóstolos, dos mártires e de outros discípulos, e fossem veneradas?

Por que os teus fiéis apóstolos, que nos ensinaram a guardar o que ordenaste, teriam sido omissos e deixado de nos ensinar a fazer e a venerar tais imagens, se querias que o fizéssemos?

Fazendo-as e venerando-as, não estarão os homens andando nos mesmos caminhos dos gentios, e copiando os maus costumes dos pagãos, que viviam nas trevas e na potestade de Satanás? Não estarão, como os pagãos, mudando a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, bem como de aves, quadrúpedes e répteis? Não estarão mudando a verdade de Deus em mentira, adorando e servindo a criatura, em lugar do criador, o qual é bendito eternamente?

Não foi por causa disto que Deus os entregou a paixões infames; deixando que suas mulheres mudassem o modo natural de suas relações íntimas, por outro contrário à natureza? Semelhantemente, os homens também, deixassem o contato natural da mulher, e se inflamassem mutuamente em sua sensualidade, cometendo torpeza, homens com homens, e recebendo em si mesmos a merecida punição do seu erro, como nos ensinou o teu apóstolo Paulo? [Atos, cap. 26 e Romanos cap. 1].

Buscando na leitura do teu Novo Testamento,

Encontrei, Senhor, naquele embate que travaste com o príncipe deste mundo — o diabo —, a tua palavra dizendo-lhe: Ao senhor teu Deus adorarás, e só a ele darás culto. [Mateus, cap. 3].

Encontrei, Senhor, o teu apóstolo Pedro — a quem entregaste as chaves do teu reino, para que ele abrisse as suas portas aos judeus, no memorável dia de Pentecoste, e igualmente aos gentios, em Cesaréia — levantando o centurião Cornélio, que se ajoelhara diante dele, e dizendo-lhe: Ergue-te que também sou homem. [Atos, cap. 10].

Encontrei, também, Senhor, os teus apóstolos Paulo e Barnabé, na cidade de Listra, diante dos adoradores de Júpiter e Mercúrio, que lhes trouxeram oferendas de animais e grinaldas, rasgando suas próprias vestes e dizendo-lhes: Senhores, por que fazeis isto? Nós também somos homens como vós, sujeitos aos mesmos sentimentos, e vos anunciamos o evangelho para que destas cousas vãs vos convertais ao deus vivo, que fez o céu, a terra, o mar e tudo o que há neles; o qual nas gerações passadas permitiu que todos os povos andassem nos seus próprios caminhos; contudo não se deixou ficar sem testemunho de si mesmo, fazendo o bem, dando-vos do céu chuvas e estações frutíferas, enchendo os vossos corações de alegria. [Atos, cap. 14].

Encontrei, finalmente, Senhor, o teu apóstolo João confessando o seu equívoco, quando se prostrou ante os pés do anjo, que lhe mostrara cousas do Apocalipse, para adorá-lo, e foi por ele repreendido: Vê, não faças isso; eu sou conservo teu, dos teus irmãos, dos profetas, e dos que guardam as palavras deste livro. Adora a Deus. [Apocalipse, cap. 22].

Todavia, agora, Senhor, decorridos quase dois mil anos do mistério da encarnação do Verbo de Deus; e da revelação que trouxeste aos homens, mostrando-lhes o Pai; e da doação do Espírito Santo aos teus discípulos; e da pregação do teu evangelho; e no limiar do terceiro milênio, vejo com desgosto e profundo pesar os teus discípulos se desentendendo e se ofendendo uns aos outros por causa dos ídolos mudos e das ditas imagens, que trazem maldição aos que as fazem e adoram, as quais não ordenaste fossem feitas, nem veneradas, nem cultuadas, nem adoradas, nem introduzidas nos lugares consagrados ao culto ao Deus vivo, nem nos lares dos teus discípulos.

Levanta, hoje, Senhor, um Josué para exortar o teu povo, como fez o sucessor de Moisés, ao renovar a aliança de Deus com o teu povo Israel, no passado: Agora, pois, temei ao Senhor, e servi-o com integridade e com fidelidade; deitai fora os deuses aos quais serviram vossos pais dalém do Eufrates e no Egito, e servi ao Senhor. [Josué, cap. 24].

Que os teus discípulos aceitem a exortação do teu discípulo João, o apóstolo do amor, a quem confiaste o cuidado de tua mãe: Filhinhos, guardai-vos dos ídolos, e a sua advertência apocalíptica: Quanto, porém, aos covardes, aos incrédulos, aos abomináveis, aos assassinos, aos impuros, aos feiticeiros, aos idólatras e a todos os mentirosos, a parte que lhes cabe será no lago que arde com fogo e enxofre, a saber, a segunda morte. [1João, cap. 5; Apocalipse, cap. 21].

Amém. Vem Senhor Jesus!

Venefredo Barbosa Vilar

 

Um comentário sobre “Carta aberta ao Senhor Jesus Cristo – Pastor Venefredo Barbosa Vilar

  1. A IGREJA DE APOCALIPES-12-17-FUGIU PARA O DESETO ONDE DEUS A PROTEJEU DO VINHO DE BABILONIA (DOUTRINAS FALSAS)MAS DAI AINDA SURGIU AS FILHAS DA GRANDE MERETRIZ, QUE COMFUNDIU A MENTE DE MUITOS,QUE SE NEGA DE BUSCAR AS RAISES DA IGREJA DE APOCALIPSES,12-17-QUE FICOU ATE O ANO DE 1600 NO DESERTO MAS SAIU E ESTA AI NO MEIO DO POVO E VERDADE QUE UM PEQUENO REBANHO,MAS QUE AINDO MANTEM AS DOUTRINAS DE ATOS DOS APOSTOLO, QUENDO INICIOU O CRISTIANISMO COMO CONGREGAÇÃO

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s