Escribas e Fariseus – Pastor Venefredo Barbosa Vilar

OS ESCRIBAS E FARISEUS REMANESCENTES

            No Capítulo 7 do Evangelho de Marcos, a palavra diz: Perguntaram a Jesus, os escribas e os fariseus dizendo: Por que não andam os teus discípulos conforme a tradição dos anciãos, mas comem com as mãos por lavar? E ele, respondendo, disse-lhes: Bem profetizou Isaías acerca de vós, hipócritas, como está escrito: Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. Em vão me adoram, ensinando doutrinas que são mandamentos de homens. Nada há, fora do homem, que, entrando nele, o possa contaminar; mas o que sai dele, isso é que contamina o homem.

            Antes de iniciarmos os nossos estudos, vamos pesquisar nos dicionários bíblicos o significado dessas palavras, citadas no Novo Testamento. Vejamos:

ESCRIBA: Ou eruditos Homens de letra, aos quais pertenciam o estudo profissional da lei de Moisés (Esdras 7.6). O seu trabalho abrangia o desenvolvimento teórico da lei, para incluir novos casos.

Os escribas criaram um sistema complicado de ensinamentos conhecido como A TRADIÇÃO DOS ANCIÃOS (Mateus 15.2-9). Jesus os censurou (Mateus Capítulo 23).  Os escribas tiveram parte na morte de Cristo (Mateus 26.57) e perseguiram a Igreja primitiva (Atos 4.5; 6.12). Eles eram chamados também de doutores da lei (Lucas 5.17).  

            FARISEU: Membros de um dos principais grupos religiosos dentre os judeus. Os fariseus seguiam rigorosamente a Lei de Moisés e as tradições dos anciãos e os costumes dos antepassados Mateus 23.25 a 28. Acreditavam na ressurreição e na existência de seres celestiais (Atos 23.8). Os fariseus não se davam com os saduceus, mas se uniram com eles para combater Jesus e os seus seguidores (Mateus16.1).

 

            E hoje, quem são os escribas e fariseus, senão os doutores ou eruditos que buscam nos cursos bíblicos didáticos, a sabedoria para exercerem liderança nas igrejas, tornando-se mercenários da fé, vivendo no deleite da vida material, tosquiando as ovelhas, e extorquindo a fé dos fieis. 

É óbvio que não podemos generalizar, porque existem muitos homens ungidos do Senhor com único objetivo de anunciar o reino de Deus, cujo interesse é a salvação de muitas almas, realizar a sua obra sem estimar lucros, sem qualquer interesse nas coisas deste mundo.

Mas podemos afirmar com toda certeza, que a grande parte desses, se encaixam no perfil dos escribas e fariseus denunciados no Evangelho do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. 

Quem são os escribas e fariseus, senão os que procuram a cada dia deixar mais espaçosa a porta que Cristo declarou ser estreita  anunciando uma doutrina fácil, um Evangelho sem compromisso com o Senhor e sem esperança para a salvação. Pregando o Evangelho da prosperidade, uma doutrina fora do propósito de Deus para o homem, distanciando-o do Reino de Deus, disseminando apenas  o que lhes é conveniente, ocultando a finalidade principal da morte de Cristo na Cruz, a remissão dos nossos pecados, e a promessa da vida eterna. 

Introduzem doutrinas de homens na igreja como as danças, teatro, cinema, acampamentos em feriados prolongados, tudo sob o pretexto de evangelização. O que precisamos é levar o Evangelho de Cristo para salvação dos que andam em caminhos distantes, e não trazer os costumes mundanos dos ímpios para dentro da igreja.

            Também criaram um sistema complicado e corrompido para o homem servir a Deus, chamam a estrutura material de casa do tesouro de Deus e, exigem que os dez por cento dos rendimentos sejam entregues nesse lugar onde ninguém mais sabe o destino desse dinheiro, retrocedendo as fábulas judaicas no rudimento da lei, anulando assim o sacrifício do Cordeiro de Deus. Usam uma lei que foi por Cristo abolida, colocando sob o jugo aqueles que buscam a libertação (Romanos 10.4, Efésios .2.15, II Corintios 3.14, Hebreus 7.12,18, 19).

Para esses falsos mestres, o dízimo é o único vínculo entre Deus e o homem. Estabeleceram valores: Dez por cento dos rendimentos e mais ofertas, este é o preço que os fieis pagam aos líderes de muitas igrejas para a salvação.  Indulgência no passado, hoje dízimos e ofertas. 

            Exercitam comércio dentro da casa de oração, mesmo sendo sabedores que isso é abominação ao Senhor, pois Cristo expulsou a todos os que vendiam e compravam nesse lugar e disse-lhes: Está escrito: A minha casa será chamada casa de oração, mas vós a tendes transformado em covil de ladrões (Mateus 21. 12, 13).

Pelas palavras do Senhor Jesus Cristo, entendemos com toda transparência, a razão pela qual, muitas vezes as nossas orações não são ouvidas. Certamente, porque não chegam diante do trono de glória do Pai. Porventura opera Deus no covil de ladrões

Cristo está à direita de Deus Pai e o rebanho apascentado pelo mercenário está sendo conduzido para a esquerda, direção adversa do Senhor Jesus, na contra mão da vontade de Deus, pela imposição de doutrinas e heresias que são inseridas nas igrejas ocultamente pelos falsos mestres, verdadeiros condutores cegos.  E, um cego guiado por outro cego, seguramente caem os dois na cova.

Hoje, os escribas e fariseus estão mais atuantes do que nunca. Abrem-se igrejas com estrutura e requisitos de empresa, com a única finalidade de comercializar, cujos clientes são os fieis e o produto a ser negociado é o precioso sangue do Cordeiro inocente, o sacrifício vivo de Jesus Cristo na cruz do Calvário.  Na carta universal de 2 Pedro 2.3, o Senhor alerta:

Por avareza, farão comércio de vós com palavras fingidas; sobre os quais já de longo tempo a sentença não tarda, e a sua perdição não dorme.

 

E o mais deplorável de tudo isso, em muitos casos é a ingenuidade dos fieis, confiam em tudo o que lhes é atribuído pelo homem, ao invés de buscar a verdade nas escrituras, as quais dizem: Maldito é o homem que confia no homem, mas bem-aventurado é o homem que deposita a sua confiança no Senhor.

Na carta de Paulo aos Colossenses 2.8 diz: – Tende cuidado para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo e não segundo Cristo.

Quando os Apóstolos de Cristo anunciaram o Evangelho em Beréia, esses tiveram o cuidado de considerar nas escrituras a veracidade dos acontecimentos.

Atos 17.11Ora, estes de Beréia eram mais nobres que os de Tessalônica; pois receberam a palavra com toda a avidez, examinando as Escrituras todos os dias para ver se as coisas eram, de fato, assim.

Precisamos também ter esta postura em relação a palavra de Deus, certificar se o que nos foi apregoado tem embasamento bíblico ou se é doutrina do homem, porque isso é muito perigoso, a palavra do Senhor é radical e invariável e não deixa margem para dupla interpretação.

Vamos deixar aqui uma indicação aos amados irmãos para discernir quando a palavra que nos é pregada, se foi divinamente inspirada pelo Espírito Santo de Deus, ou se veio da inspiração humana. Prestem muita atenção para onde será conduzido o final da pregação.

Se a pregação for conduzida com o único propósito de glorificar e honrar o nome do Senhor nosso Deus e Pai; Amem.  Pode absorver no seu coração que verdadeiramente veio do trono de Glória de Deus. 

Porem, se o objetivo final da pregação for direcionado para veneração e glória do homem, para tirar proveito de alguma situação ou para fins comerciais, ou ainda para realizar qualquer espécie de coletas, a palavra está materializada, sem virtude alguma e com toda certeza não veio da vontade de Deus, mas do homem e não trará proveito espiritual algum.

Gostaríamos de esclarecer, que não anunciamos isto para agredir ou afrontar essa ou aquela igreja, o nosso compromisso é com Deus, e o único objetivo é apresentar aos irmãos a verdade que Cristo nos deixou para alcançarmos a liberdade plena pela aspersão do sangue de Cristo na cruz, porque “Ele” mesmo disse: Fostes comprado por bom preço, não vos façais servos de homens.

EXTREMA CORRUPÇÃO NOS ÚLTIMOS TEMPOS

Na 2ª Carta de Paulo a Timóteo Capitulo 3.1 ao 7, 10: Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos; porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te.

Porque deste número são os que se introduzem pelas casas e levam cativas mulheres néscias carregadas de pecados, levadas de várias concupiscências, que aprendem sempre e nunca podem chegar ao conhecimento da verdade.

Tu, porém, tens seguido a minha doutrina, modo de viver, intenção, fé, longanimidade, caridade, paciência.

Colossenses 3.14: E sobre tudo isto, revesti-vos da caridade, que é o vínculo da perfeição.

http://cristoeaverdade.net/ANTI_BIBLICAS/OS_ESCRIBAS_E_FARISEUS.html

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s